shutterstock 435627745
NotíciasTurismo

Gasto de turistas internacionais no Brasil tem o melhor primeiro trimestre da história, afirmam MTur e Embratur

O gasto de turistas internacionais no Brasil durante o primeiro trimestre deste ano registrou o maior valor da série histórica, iniciada em 1995. Ao todo, foram deixados no país cerca de R$ 10,45 bilhões no período. O valor também é 21,3% maior que o registrado nos primeiros três meses de 2023, quando os visitantes deixaram R$ 8,63 bilhões nos destinos brasileiros. O montante superou ainda o mesmo intervalo em 2019, último ano antes da pandemia de Covid-19, quando o balanço trimestral ficou em R$ 9,19 bilhões.

O ministro do Turismo, Celso Sabino, destacou que os números comprovam que o país está no rumo certo.

“O Brasil está mais do que nunca no radar dos turistas internacionais, e os números do primeiro trimestre refletem isso claramente. O gasto dos estrangeiros em nosso país atingiu um marco histórico, mostrando a força e o potencial do turismo brasileiro. Estamos comprometidos em continuar investindo em infraestrutura e promovendo nossos destinos, junto com a Embratur, para atrair ainda mais visitantes e impulsionar nossa economia, gerando emprego, renda e desenvolvimento. É bom para todo mundo!”, disse.

O recorde trimestral de entrada de divisas caminha ao lado do recorde de entrada de turistas internacionais no Brasil em janeiro, fevereiro e março deste ano. Foram 740.483 visitantes de outros países, número 1,6% maior que o recorde anterior, de 2018, antes da pandemia, quando o país contabilizou 728.742 turistas estrangeiros. Na comparação com março de 2023, quando o Brasil recebeu 577.215 visitantes de outros países, o crescimento foi de 28,8%.

Março também registrou aumento na entrada de divisas, sendo o quarto melhor da série histórica. O registro para o período foi de US$ 592 milhões, 3,85% maior que o de março de 2023, quando turistas internacionais deixaram no Brasil US$ 570 milhões. De acordo com o Banco Central, os outros três melhores resultados aconteceram, em ordem cronológica, em 2012, com US$ 607 milhões, em 2016, com US$ 597 milhões, e em 2017, com US$ 650 milhões.

O presidente da Embratur, Marcelo Freixo, comemorou o resultado. “Os resultados são consistentes e são consequência de um trabalho técnico e qualificado realizado pela Embratur, em parceria com estados e municípios, e o setor privado. Definimos prioridades, organizamos uma estratégia de promoção e o turista que vem em maior volume é exatamente dos países onde estamos atuando para promover o Brasil com maior empenho”, destaca Marcelo Freixo, presidente da Embratur.

“Quando dá certo, todo mundo ganha. O turismo é uma cadeia muito democrática, essa receita entra para o micro e pequeno empresário, ajuda a gerar empregos, desenvolver os municípios. Eu costumo dizer que não existem dois Brasis e esse bom resultado é a visão disso na prática. Mais turistas vindo ao país nos ajuda a tornar a nossa casa, o lugar em que vivemos, melhor. Porque não pode ser um Brasil para o turista e outro para o brasileiro. Tem que ser bom pra todo mundo”, acrescentou Freixo.

ENTRADA DE TURISTAS – O balanço de entradas de turistas internacionais também mostrou que a estratégia da Embratur de diversificação de destinos entre os países vizinhos da América do Sul está dando resultados. O Uruguai, por exemplo, quase dobrou a emissão de turistas para o Brasil em relação a março de 2023. Com 70.866 ingressos, o país apresentou um crescimento percentual de 94,9%.

Em segundo entre os países com maior percentual de crescimento, o Paraguai também ficou muito perto de dobrar o número de turistas enviados ao Brasil, com crescimento de 93,3% e 39.007 entradas. O país foi seguido pelo Chile, que cresceu 45,6% com 50.877 chegadas. Importante destacar que é o terceiro mês seguido que o número de chilenos cresce nos registros. E a Argentina, que teve queda nos dois primeiros meses de 2024, apresentou crescimento de 16,9%, com a entrada de 223.602 hermanos nos destinos brasileiros.

Já na Europa, o maior crescimento foi de Portugal, de 34,9%, com 28.108 entradas, seguido pela Alemanha, que apresentou aumento de 22,9% com 25.668 ingressos no Brasil. E na América do Norte, os Estados Unidos enviaram 83.609 turistas, um crescimento de 10,1%. O registro de entradas de turistas é feito pela Embratur em parceria com o Ministério do Turismo (MTur) e a Polícia Federal (PF).

Assessoria de Comunicação do Ministério do Turismo e Assessoria de Comunicação da Embratur

Leia também:

pt_BRPortuguese