Image default
NotíciasRio de Janeiro

Rio de Janeiro representará o Sudeste no projeto-piloto ‘Destinos Turísticos Inteligentes’ da Mtur

Gilson Machado Neto, ministro do Turismo

Gilson Machado Neto, ministro do Turismo

O Brasil terá uma política pública para promoção de Destinos Turísticos Inteligentes (DTI). Em videoconferência realizada nesta quinta-feira (22), o ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, convidou representantes das primeiras nove cidades – de um total de 10 – a integrarem o projeto-piloto conduzido pela Pasta, que contará com 10 cidades – a 10ª será anunciada em breve. Nele, será possível analisar os procedimentos atuais e a implementar estratégias, considerando as especificidades regionais.

Ao todo, duas capitais representando cada uma das cinco regiões do Brasil participarão do projeto-piloto: Rio Branco (AC) e Palmas (TO), no Norte; Recife (PE) e Salvador (BA), no Nordeste; Campo Grande (MS) e Brasília (DF), no Centro-Oeste; Florianópolis (SC) e Curitiba (PR), no Sul; e Rio de Janeiro, no Sudeste.

“Vamos agora, usando a tecnologia, mudar a realidade do turismo para o turista internacional que chega no Brasil e, também, para os brasileiros. Com a pandemia, cerca de 11 milhões de brasileiros que viajavam para o exterior agora estão conhecendo o próprio país. Temos o desafio de fidelizá-los para que cada vez mais o brasileiro se orgulhe do seu país e viaje dentro dele porque temos um país maravilhoso”, destacou o ministro Gilson.

Um Destino Turístico Inteligente é caracterizado por ofertar a seus visitantes produtos e experiências inovadoras e de qualidade, tendo como base a estruturação e a convergência de cinco pilares: governança; inovação; tecnologia; sustentabilidade; e acessibilidade. As vantagens vão desde ampliação da competitividade dos destinos turísticos, a melhoria da eficiência dos processos de comercialização e de desenvolvimento sustentável local.

Fonte: Mercado e Eventos 

 


 

170321_RIO_CIDINT.jpg

MTur anunciou a cidade do Rio de Janeiro como Destino Turístico Inteligente. Crédito: Roberto Castro/MTur

Oministro do Turismo, GiIson Machado Neto, anunciou nesta terça-feira (16.03), o Rio de Janeiro (RJ) como primeira cidade a fazer parte do projeto Destinos Turísticos Inteligentes (DTI) no Brasil. A iniciativa busca preparar os municípios para que possibilitem experiências inovadoras aos visitantes, promovam melhoria da gestão e dos níveis de competitividade turística. Ao todo, dez municípios farão parte da primeira etapa do DTI, sendo duas em cada região do país. A ideia e que todos os participantes sejam conhecidos até o final do mês. A divulgação da iniciativa contou com a presença do presidente da Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo (Embratur), Carlos Brito; do assessor especial da Presidência da República, Mozart Aragão; e do vereador Carlos Bolsonaro.

Para elaborar os Destinos Turísticos Inteligentes, o MTur firmou parceria com o instituto argentino Ciudades Del Futuro (ICF) e contará com a chancela da Sociedade Mercantil Estatal para a Gestão da Inovação e as Tecnologias Turísticas (SEGITTUR), da Espanha, instituições pioneiras no segmento. O objetivo desta parceria é a construção de um modelo metodológico que permita o desenvolvimento de Destinos Turísticos Inteligentes no Brasil.

O ministro Gilson Machado Neto destacou a importância do projeto para fomento ao setor e fortalecimento da economia. Para ele, a capital fluminense, assim como as demais cidades selecionadas, têm muito a ganhar com a parceria. “Essa ação é desenvolvida nas principais cidades do mundo e no Brasil, no começo, serão dez cidades”, ressaltou. “O Rio foi contemplado: conectividade, informações turísticas, segurança turística, percepção de segurança turística. Vamos resgatar o turismo como geração de emprego e renda do estado e na cidade do Rio de Janeiro”, concluiu.

DTI – Um Destino Turístico Inteligente é caracterizado por oferecer a seus visitantes produtos e experiências inovadoras e de qualidade, tendo como base a estruturação e a convergência de cinco pilares: governança; inovação; tecnologia; sustentabilidade; e acessibilidade. Portanto, quando se trata de destinos turísticos inteligentes, a tecnologia digital é apenas um dos pilares de melhorias necessárias na gestão dos destinos.

Para a definição de quais cidades receberiam a iniciativa, o Ministério do Turismo realizou um amplo trabalho de mapeamento de cidades com potencial para receber o programa. O Ministério do Turismo arcará com todo o diagnóstico para entregar para as cidades selecionadas as necessidades e possibilidades encontradas em cada destino. Entre as possibilidades do projeto estão a garantia de internet gratuita nos atrativos, melhoria da gestão do turismo, entre outras.

 

Curta nossa página no LinkedIn e fique por dentro de conteúdos exclusivos!

LEIA TAMBÉM: