NotíciasOutrosRio de Janeiro

Rio de Janeiro inicia preparação para nova conferência ambiental de 2030

Cristo Redentor, Rio de JaneiroReuters

Estado projeta avanço na recuperação da Baía de Guanabara para que seja cenário-símbolo do encontro

Menos de duas semanas após a conclusão da Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (COP26), ocorrida em Glasgow, na Escócia, o Rio de Janeiro iniciou os preparativos para a Conferência Rio 2030.

O evento ocorrerá 30 anos após a Eco-92, quando a capital do estado recebeu lideranças de 178 países para discutir sustentabilidade. Em 2012, a cidade recebeu ainda a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20).

Segundo o estado, os preparativos para a Rio2030 foram iniciados em janeiro, com a criação de um grupo de trabalho que formulou propostas para o evento de 30 anos da Eco-92. Em agosto, foi criada a Autoridade do Desenvolvimento Sustentável. Na quarta-feira (24), o governador Cláudio Castro (PL) assinou um termo que torna 2022 o ano do desenvolvimento sustentável no estado.

Secretário estadual de Ambiente e Sustentabilidade, Thiago Pampolha explica que a conferência ocorrerá em um momento no qual o Rio de Janeiro estará ainda mais comprometido com as metas ambientais, devido aos compromissos assumidos recentemente na COP26.

“Faremos um grande movimento, tendo a Baía de Guanabara como palco vivo, a partir do início da restauração desse ecossistema, parte da nossa agenda 2030″, disse.

“Estamos inaugurando um novo tempo com a universalização do saneamento, com a redução das emissões de gases como o metano e o Conexão Mata Atlântica, da qual já nos comprometemos com um incremento de 10% de cobertura vegetal no estado. Tudo isso dá mais robustez à Rio2030”, explica o secretário.

O governo pretende realizar a universalização do saneamento básico por meio da concessão da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae), que dividiu a área bacia da Baía de Guanabara em dois lotes já concedidos. Um terceiro, que engloba 21 municípios, está previsto para ir a leilão em 29 de dezembro, na Bolsa de Valores de São Paulo (B3) por meio de modelagem feita pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

“Será um grande evento que reunirá chefes-de-estado, coalizões, redes internacionais e sociedade civil. Será um grande exemplo do que temos chamado de pensar globalmente e agir localmente. Por isso, 2022 será um ano de intensificação da agenda ambiental”, conclui Pampolha.

O evento prevê ainda a realização de fóruns, painéis e diferentes oportunidades para trocas de entre diferentes instâncias governamentais e a sociedade civil.

 

 

Fonte: CNN

Curta nossa página no LinkedIn e fique por dentro de conteúdos exclusivos!

LEIA TAMBÉM: