Notícias

Relatório do ISP indica queda histórica de homicídios dolosos no RIo

O Instituto de Segurança Pública do Rio de Janeiro (ISP) revelou que os homicídios dolosos (com intenção de matar) caíram 9% nos sete primeiros meses deste ano na comparação com o mesmo período de 2020. Antecipado com exclusividade ao DIA, o levantamento indica 1.975 mortes no período, o que representa a menor marca para os meses desde 1991, quando se iniciou a série histórica do instituto.
De acordo com o levantamento, foram registrados 249 homicídios em julho. O dado representa uma redução de 3% no comparativo com o mesmo mês do ano passado. E, assim como o total de mortes no acumulado, a marca do mês é a menor desde 1991.

A queda nos indicadores também é vista no número de crimes violentos letais intencionais, que inclui homicídios dolosos, lesão corporal seguida de morte e latrocínio. Nesse tipo de caso, a queda foi de 8% no acumulado entre janeiro e julho. Somente comparando os meses de julho, a queda foi de 4% — menor índice desde 1999.

Apreensões

Outro número de julho que chama atenção é o de apreensão de armas. No mês, foram apreendidas 560 armas em todo o estado, sendo 24 delas fuzis. O número é 4% maior que o anotado no mesmo mês do ano passado. No acumulado,  entre janeiro e julho, 4.248 armas foram retiradas das ruas. Desse total, 240 eram fuzis. O dado revela que, em média, mais de um fuzil foi apreendido por dia em 2021 no estado.

O ISP contabilizou ainda 1.699 apreensões de drogas no estado em julho. No mês, as polícias civil e militar cumpriram 1.004 mandados de prisão e realizaram 2.711 prisões em flagrante.

Crimes contra o patrimônio

Os crimes de roubo de carga caíram 34% na comparação com julho do ano passado e 15% nos sete primeiros meses deste ano. Os números de roubos de rua também tiveram redução em relação ao acumulado do ano passado, foram 5%.

Curta nossa página no LinkedIn e fique por dentro de conteúdos exclusivos!

LEIA TAMBÉM: