Mais que folia: Carnaval ajuda a movimentar economia do Rio de Janeiro

Cerca de 300 mil pessoas lotam as arquibancadas da Sapucaí a cada Carnaval Fernando Maia/Riotur

 

Durante o ano inteiro, milhares de pessoas de diferentes profissões trabalham nos barracões e quadras das escolas de samba

 

Não é só sobre blocos, folia e avenida. O carnaval do Rio tem um papel fundamental na economia do estado.

Durante o ano inteiro, milhares de pessoas de diferentes profissões trabalham nos barracões e quadras das escolas de samba, como costureiras, artistas plásticos, profissionais de limpeza, seguranças e carnavalescos

Esse importante setor movimenta muito dinheiro e gera milhares de empregos.

Segundo dados da Riotur, o Carnaval de 2020 impactou a economia do Rio em R$ 3,8 bilhões, com mais de 1,5 milhão de turistas na cidade. A ocupação da rede hoteleira chegou a mais de 90% durante o período carnavalesco.

Para o professor de economia da UFRJ Mauro Osório, o Carnaval consegue dar uma alavancada na economia quando as atividades são pensadas de uma forma sistêmica.

Um estudo divulgado pela Prefeitura do Rio mostra que o número de trabalhadores que vivem do Carnaval carioca é maior que o de habitantes de 86 por cento dos municípios brasileiros.

Há 18 anos trabalhando para o maior espetáculo da Terra, o empreiteiro Ricardo Deulindo conta que o Carnaval é muito mais que uma fonte de renda para ele e a família.

De acordo com a Prefeitura do Rio, 300 mil pessoas lotam as arquibancadas da Sapucaí a cada Carnaval. A professora de economia do IBMEC Vivian Almeida explica que qualquer atividade que envolva a circulação de pessoas reflete na circulação de serviços, ainda mais sendo um evento que já era esperado há dois anos devido à pandemia.

O cancelamento de festa gerou uma perda de mais de 60% do ISS do turismo em fevereiro de 2021. O ISS é uma das principais fontes de recursos da Prefeitura do Rio e dispara o segmento do turismo durante o Carnaval.

Fonte: Band

Matérias relacionadas

x