Image default
Notícias

Lei que cria polo gastronômico, cultural e de lazer do Estádio Nilton Santos é sancionada

Foto Cleomir Tavares / Diario do Rio

O projeto determina que o Poder Executivo deverá apoiar a implementação do espaço, auxiliar na adequação do trânsito para veículos e pedestres, aumentar a disponibilidade de vagas para estacionamento, delimitar e sinalizar treze vagas para food trucks e instalar sinalização vertical com indicação do polo.

“O projeto não aborda só a questão gastronômica, mas também a questão cultural, esportiva e de lazer, reconhecendo a importância que o estádio adquiriu para aquela região”, explicou o vereador. Na justificativa do texto, ele afirma que “a região se transformou em um badalado point plural, que congrega a deliciosa gastronomia dos food trucks, a boa música das rodas de samba e as diversas atividades físicas, desportivas e recreativas do complexo”.

A Prefeitura também deve organizar a área de lazer, o comércio ambulante na rampa de acesso ao estádio e as atividades desenvolvidas por food trucks e incluir o polo no roteiro turístico oficial do Rio de Janeiro – Guia do Rio.

Vale citar que, segundo o texto, o funcionamento dos food trucks só será permitido duas horas após o término do jogo ou do evento, visando melhor organização.

A História do Engenhão

Inaugurado em 2007, o Engenhão foi a primeira construção iniciada para os Jogos Pan-americanos de 2007. A data de conclusão da obra foi adiada quatro vezes. Inicialmente prevista para 2006, ficou pronta no ano seguinte. Semanas antes do Pan começar, ainda havia reparos para fazer.

O Estádio, que é municipal, foi arrendado pelo Botafogo no ano de sua inauguração até 2027. No contrato há a possibilidade de renovação por mais 20 anos. A partir de 2015, a pedido do Botafogo, o nome fantasia do campo foi alterado para Estádio Nilton Santos.

Fonte: Diario do Rio

Curta nossa página no LinkedIn e fique por dentro de conteúdos exclusivos!

LEIA TAMBÉM: