Notícias

Conselho de Turismo da ACRJ debate temas como imprensa, eventos e transporte

Como lidar com a imprensa? Quais cuidados ao conceder uma entrevista? Estas e outras dicas foram abordadas durante a reunião do Conselho Empresarial de Turismo da ACRJ, no dia 28. A apresentação “Cuidado: você pode virar notícia” foi feita pela jornalista Silvana Ramiro, que ressaltou a atenção que todos devem ter ao expressar uma informação. Ela explicou como fazer para enfrentar uma crise e reverter a imagem negativa de uma empresa.

Segundo a jornalista, pode ser considerada uma crise quando o fato gera “comoção, pressão da sociedade e da mídia, busca de causas (no caso dos acidentes), exposição negativa da marca, dramas pessoais e discussões sobre indenizações (quando envolve mortos e feridos)”. Silvana ressaltou que o posicionamento inicial da empresa ou da instituição, por exemplo, já pode definir o rumo da crise e afirmou que deve se falar a verdade sempre.

Para ela, existem quatro pilares da mensagem: para quem você vai falar; o que vai falar; quanto tempo tem e como vai dizer. E lembrou a importância de estar preparado para conceder uma entrevista, com o domínio do assunto, clareza e verdade nas respostas e cuidado com a linguagem corporal, entre outros pontos.

Silvana Ramiro destacou ainda que atualmente é preciso estar atento até para a foto que vai usar no whatsapp, já que essa mídia é usada também como instrumento de comunicação no trabalho. E observou que a pessoa precisa ter cautela ainda com “posts políticos (estamos em ano eleitoral), comentários em posts alheios, conversas em restaurantes e aeroportos”. “Celular é uma arma. Vaza tudo”, complementou a jornalista.

Durante a reunião o presidente do Conselho de Turismo, Alfredo Lopes, abordou a questão da segurança. Ele lembrou que estão acontecendo muitos assaltos, como o que ocorreu no fim de semana no Village Mall, quando bandidos entraram armados no estabelecimento e levaram joias e relógios de uma joalheria, deixando um morto e fazendo uma pessoa como refém, além de causar pânico aos que estavam no local.

“Precisamos que haja o agravamento da legislação, com penas mais duras para os crimes. Caso contrário, a violência continuará aumentando. Temos que debater soluções e levar às autoridades”, disse.

Evento e transporte – Na reunião anterior, realizada no dia 31 de maio, o Conselho de Turismo abordou o calendário de eventos da cidade e a situação do transporte coletivo. Dez pontos de réveillon com fogos de artifícios na cidade, incluindo dois na Zona Oeste e um na região portuária; comemorações pelo bicentenário da Independência em setembro; volta dos blocos de rua no próximo Carnaval; e participação em oito feiras nacionais e internacionais, entre outros iniciativas. A programação de eventos foi fornecida pelo novo presidente da Riotur, Bruno Mattos, ao participar da reunião online do Conselho Empresarial de Turismo da Associação Comercial do Rio de Janeiro.

“Nosso objetivo é antecipar o calendário de eventos para que o trade de turismo possa se planejar e trabalhar”, afirmou o presidente da Riotur, que assumiu o cargo recentemente. Além dessas e de outras ações relacionadas ao setor turístico, lembrou que haverá incentivo ao turismo da diversidade. “Temos que apoiar todos os tipos de turismo na cidade”, enfatizou.

O presidente do Conselho de Turismo, Alfredo Lopes, solicitou ao presidente da Riotur que fale com o prefeito sobre a possibilidade de dar desconto no IPTU das casas de música ao vivo. “A música ao vivo é cultura e gera emprego. A prefeitura poderia incentivar com isenções de impostos ou descontos significativos”, reforçou. Lopes também propôs que a Prefeitura abra seu calendário para outras datas. “Outros calendários podem ser criados, como o da Bossa Nova”, sugeriu.

A reunião do Conselho contou também com a participação do presidente do Rio Ônibus. João Gouveia explicou a importância do acordo com a Prefeitura, já que a situação é complicada. Segundo ele, dos cerca de sete mil ônibus que existiam, hoje a frota em operação é de três mil para a atender a população. Gouveia informou que com o acordo será iniciada uma nova era. “A tarifa continuará a mesma até o fim do ano, ou seja, R$ 4,05, o vale transporte também não será aumentado”, destacou.

O presidente lembrou que o Rio Ônibus é responsável por 75% do deslocamento dos usuários da cidade do Rio de Janeiro. E agradeceu a participação da ACRJ nas negociações com a Prefeitura. “Assim como outras instituições, a Associação Comercial do Rio de Janeiro foi fundamental nesse processo”, declarou.

Pelo acordo, a Prefeitura assume a bilhetagem eletrônica e paga subsídio às empresas com base na quilometragem rodada e não mais pelo número de passageiros transportados, entre outros pontos.

Curta nossa página no LinkedIn e fique por dentro de conteúdos exclusivos!

LEIA TAMBÉM: