Notícias

Evento debate recuperação do valor das diárias

Divulgação Arteiras

A Associação Brasileira da Indústria de Hotéis no Rio de Janeiro (ABIH-RJ) e o Sindicato de Hotéis e Meios de Hospedagem do Município do Rio de Janeiro (HotéisRIO) organizaram na quarta-feira, dia 24, o evento virtual “Retomada Rio de Janeiro – A importância da recuperação das diárias para a sustentabilidade da hotelaria”, com apoio do Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil (FOHB).

O evento contou com a presença do sócio-diretor da HotelInvest, Pedro Cypriano, da CEO da GO Consultoria e presidente da Hsmai Brasil, Gabriela Otto, do presidente da ABIH-RJ, Paulo Michel e do vice-presidente do HotéisRIO, José Domingo Bouzon.

De acordo com o sócio-diretor da HotelInvest, Pedro Cypriano, o setor de turismo ainda está longe de recuperar a saúde financeira que exibia antes da pandemia. “As companhias aéreas são um bom exemplo: a demanda nos voos domésticos ainda está 25% inferior ao patamar pré-crise sanitária, enquanto no tráfego internacional está 78% abaixo. No caso dos hotéis, a ocupação vem ganhando tração, mas ainda há muito trabalho pela frente. O processo de recuperação precisa se intensificar, as margens de lucro ainda estão muito apertadas. O segmento de lazer até vem apresentando uma retomada, mas o mercado corporativo ainda tem um longo caminho a percorrer”. Cypriano acredita que as tarifas ainda estão 30% abaixo do que deveriam estar. Com o aumento dos custos, a saída é aumentar as receitas. “Sem recuperar esses valores, a retomada pode levar até quatro anos”, disse.

Para Gabriela Otto, CEO da GO Consultoria, a demanda vai voltar e o pior que pode acontecer é o setor hoteleiro não estar preparado. “A diária média tem que estar acima da inflação acumulada. É importante que cada empreendimento conheça bem seus públicos e saiba administrar os valores. A elasticidade do mercado, cada vez maior, requer flutuação de tarifas e isso só se consegue com automação”.  Ela ressalta que é preciso conhecer a fundo a composição de seus preços e suas margens, mantendo a integridade tarifária e uma relação saudável entre valor e preço. “Não adianta ter ocupação de 100% com tarifas baixas, que não proporcionam retorno aos hotéis”.

O presidente da ABIH-RJ, Paulo Michel, considerou as informações apresentadas de grande importância. “Certamente ajudarão a aperfeiçoar os processos de tomada de decisão”. José Domingo Bouzon, do HotéisRIO, concordou: “O debate de hoje agregou muito valor a todos nós”.

Curta nossa página no LinkedIn e fique por dentro de conteúdos exclusivos!

LEIA TAMBÉM: